Carrossel Internacional Matérias Notícia Parques Trip Report

Visitamos o Parc Astérix em Paris – Conheça

No final do mês de Junho realizamos uma viagem a Paris na França e aproveitamos para visitar alguns parques por lá e um deles foi o famoso Parc Astérix, próximo da grande cidade Francesa, um local que vale a pena ir quando se visita a cidade.

O Parc Astérix fica apena 15 minutos do Aeroporto Charles de Gaulle em Paris, é extremamente fácil chegar até o parque, falaremos mais a frente algumas dicas sobre como visitar o local.

O parque foi inaugurado em 1989, mas sua história se iniciou nos anos de 1980, quando Albert Uderzo, seu criador, visitou a Disneyland da Califórnia, ficou apaixonado pelo parque e teve a ideia de construir um com estilo parecido só que no seu país de origem, a França. Os personagens escolhidos, foram os mais famosos entre os Franceses, do desenho Astérix e Obélix.

Seu projeto foi desenvolvido em 1981, em seguida começaram as pesquisas de mercado, o próximo passo foi encontrar investidores e começar a elaborar o projeto arquitetônico do Parc Astérix, com todas as suas atrações, que ocorreu no ano de 1985 e 1986.

No começo de 1987 o dinheiro para a construção do parque foi disponibilizado, cerca de 870 milhões de Francos (130 milhões de Euros) e sua construção foi finalmente iniciada. Em 1989 o Parc Astérix foi aberto ao público, com uma montanha-russa de grande porte e diversas atrações modernas para a época. O parque foi um sucesso total e mantém sua visitação em alta até hoje, sendo o segundo parque Francês mais visitado, perdendo apenas para a Disneyland Paris.

Nós visitamos o parque em uma quinta-feira, bem próximo do início das férias escolares na França, ou seja, já esperávamos que estivesse um pouco movimentado.

O parque está dividido em 6 áreas temáticas e começamos pelo “Império Romano”, ela é a rua principal do Astérix, onde você encontra uma linda cidade, com diversos tipos de casa e edificações, além de ter lojas com vários tipos de lembranças, lanchonetes, restaurantes e alguns serviços necessários para os visitantes como guarda volumes, atendimento ao visitante, etc. E ao fundo o personagem Astérix fica em destaque, em cima de uma montanha. Tudo muito lindo e colorido, vale citar que no desenho essa cidade representa os inimigos dos Gaulesas, que o Astérix e o Obélix pertencem.

Não existem muitas atrações nessa área, mas os destaques ficam para Romus Et Rapidus, uma atração no estilo do Rio Bravo super divertida, a arena de shows com vários espetáculos durante todo o dia e Le Défi de Cesar, uma atração interativa que deixa todos de queixo caído.

Em seguida seguimos pela área dos Vikings, a segunda maior área do Parc Astérix, tem atrações para todos os gostos, mas não paramos nesse local, ainda seguimos para o “Egito”!

Na área Egípcia você vai encontrar algumas lojas de snacks e de lembranças, mas é aqui que você encontra uma das maiores atrações do parque, a famosa Ozíris, uma montanha-russa invertida super radical e que contém uma temática fantástica. Ela é recomendada para quem gosta de fortes emoções, afinal ela vira 5 vezes de ponta cabeça e ainda por cima atinge 40 metros de altura. (Saiba mais sobre ela clicando aqui). Sem dúvidas ela é a atração favorita de quem voz escreve, Alisson Traldi, pois ela é macia e contém a emoção na dose certa!

Após uma grande dose de adrenalina, continuamos nosso passeio pela área chamada de “Viagem no Tempo”, onde você passa por diversas atrações familiares, com uma temática misturada entre edificações mais antigas e algumas mais modernas, o destaque fica para o ótimo restaurante, com comida a vontade, chamado de “Le Cirque” e a atração “Transdemonium”, um dark ride cheio de criaturas e monstros horripilantes, indicado pra quem gosta de passar um pouco de medo.

Em seguida chegamos a “Grécia Antiga”, os destaques ficam para a Goudurix, Pégase Express (Nova montanha-Russa do Parque), Tonnere de Zeus e o DiscObélix. Começamos com a Goudurix, a primeira montanha-russa do parque, foi lançada juntamente a abertura do mesmo, ela é fabricada pela Vekoma e vira 7 vezes de ponta cabeça, é uma atração bruta e radical, não é uma das minhas preferidas pois ela acaba tendo um trajeto muito inconfortável, uma característica bem famosa das montanhas-russas fabricadas pela Vekoma. Portanto curta uma vez e já está ótimo, não recomendo repeti-la. Mas vale citar que é uma das atrações mais lindas e imponentes do parque.

E como nós amamos “Roller Coasters”, não poderíamos deixar de ir na Tonnére de Zeus, uma montanha-russa de madeira de respeito, com 30 metros de altura e 83 km/h, ela contém um trajeto divertido, cheio de curvas, quedas e até airtimes (Famosa sensação de frio na barriga), mas não deixa de ter as famosas vibrações extremas de uma montanha feita de madeira. Porém é diversão na certa, e a sua tematização é um show a parte.

 

Saindo dela resolvemos relaxar um pouco e fomos curtir o DiscObélix, uma atração familiar que foi lançada ano passado, ela consiste em um disco que gira 360 graus e faz movimentos em cima de um trilho. Super divertida, mas esperava um pouco mais de emoção, pois a colina no meio do trajeto foi feita para fornecer um gostoso airtime, como em outras versões, mas especificamente nessa, a velocidade nessa parte é reduzida, o que acaba perdendo um pouco a “graça”. Mas é uma atração que não deve deixar de ir, vale muito a experiência.

Assim retornamos ao nosso vício de montanha-russa, dessa vez com a nova construída no parque, a Pégasus Express, também um equipamento familiar. Posso dizer que ela é uma das atrações mais gostosas e divertidas do Parc Astérix, pois mistura lançamento frontal, com lançamento reverso, com curvas e quedas perfeitas, em um passeio macio e confortável. Sem dúvidas entrou na minha lista de coasters favoritas.

Lembrando que todas essas atrações, desde a Goudurix até a Pégase ficam na área temática da Grécia Antiga, que é bem grande por sinal, mas antes de continuarmos resolvemos dar uma pausa para o almoço, em um restaurante na área “Viagem pelo Tempo” chamado Le Cirque, que fornece uma alimentação a vontade e com bebida por 18 euros. Vale muito a pena.

Após um belo almoço, chegou a hora de se molhar, fomos direto para a atração que se parece com o Rio Bravo do Hopi Hari, porém maior e com mais emoção, chamado de Romu Et Rapidus. Como todo River Rapids (Nome técnico para esse tipo de equipamento) ele diverte, trás uma emoção média, mas o “medo” de se molhar é o que acaba fazendo todos darem altas risadas. É um brinquedo que para os sortudos não molha muito, mas para os menos, pode ser uma experiencia bem molhada.

Agora fomos diretamente para a área temática dos Vikings, onde possui a deliciosa montanha-russa La Trace Du Hourra, que é do modelo bobsled, ou seja, o trem começa por um trilho e entra em uma espécie de tobogã gigante, ela é bem parecida com uma montanha-russa por trilhos comuns, mas acaba dando uma sensação de mais liberdade por ela oscilar um pouco mais nesse tobogã. Vale o passeio.

Conhecem aquele ditado, já que está na água é pra se molhar? Então fomos encarar as outras duas atrações aquáticas, o Le Grant Splash e o Menhir Express. Ambas são fantásticas e uma maior que a outra, com durações muito acima do que estamos acostumados, além disso molham e divertem muito!

Depois de curtir as atrações aquáticas, fomos conhecer a Vila dos Gauleses, uma área temática extremamente fofa e onde você pode tirar fotos com os personagens dos parques, eles caminham por ali e tem seus pontos de fotos fixos.

Para não perder nosso vício em montanhas-russas, repetimos mais uma vez a Oziris e infelizmente o dia estava chegando ao fim, mas aproveitamos para comprar algumas lembranças e levar pra casa.

Infelizmente nosso dia chegou ao fim e ficamos encantados com a experiência que tivemos no Parc Astérix, um local agradável, com atrações memoráveis e que vale marcar um dia para visitar o parque.

Ficamos com aquela vontade de quero mais!

Dicas para sua visita:

1- Não deixe pra comprar o seu passaporte na hora, compre antecipadamente pelo site do parque, afinal você tem desconto na compra antecipada e além disso pode se organizar com os diversos tipos de passaportes existentes. Para uma viagem dessas, nós Brasileiros, temos que nos antecipar e se programar, portanto fica fácil comprar antecipadamente.

2- Existem diversos meios de se chegar até o parque, mas o mais barato é utilizar o transporte público do centro de Paris até o aeroporto  Charles de Gaulle e utilizar o ônibus do Astérix, é o meio mais barato.

3- Caso não tenha muita limitação com gastos e tenha apenas um dia no parque, compre o fast pass, vai permitir que você faça rapidamente as principais atrações, dessa maneira economizando tempo e conseguindo visitar todas que você tiver interesse e até repetir as que mais gostou.

 

Comentários

comentários